TEXTOS

A denúncia de Marcos Valério

20 de Setembro de 2012

O tema da semana só pode ser um: a entrevista de Marcos Valério para a revista Veja, na qual ele acusa o ex-presidente Lula de ser o real comandante do esquema do ''mensalão''.
Ou a não entrevista, já que o texto cita, entre aspas, revelações feitas pelo publicitário mineiro a pessoas próximas dele.
Entrevista ou não, ela terá desdobramentos, além da repercussão que já alcançou.
Só não terá influência no julgamento do ''mensalão''. A esta altura, a meu juízo, a sorte dos acusados na Ação Penal 470, como ele é denominado, está selada. Todos os ministros – como referiu o presidente do STF, Carlos Ayres Brito, numa das últimas sessões – conhecem muito bem o processo. E digo eu: tem suas convicções e seus votos praticamente definidos, à espera apenas das considerações do relator e do revisor.
Chama atenção, desde logo, o quase silêncio dos acusados na entrevista de Marcos Valério, um dos idealizadores do ''mensalão''. O governador petista Jacques Wagner foi o único que se pronunciou com algum vigor, desmentindo que o ex-presidente da República tenha estado com o publicitário em algum momento.
A matéria de capa da Veja parece indicar muito mais o que ainda pode vir e nesse sentido o Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, foi didático:
- As declarações dele no momento têm que ser sempre tomadas com cautela. Não se sabe exatamente que tipo de jogo está sendo feito. Marcos Valério é uma pessoa que, ao longo de todo esse processo, deixou muito claro que é jogador.
Pois se o publicitário é um jogador, cabe a pergunta: ele está blefando ou tem cartas na manga, quer dizer, nas mãos?
Que ele sabe muito mais do que disse até agora parece não haver dúvida. E é isso que inquieta e deixa arrepiados os advogados dos ''mensaleiros''.
Jornalistas políticos do centro do país asseguram que houve, sim, a entrevista, e Veja tem o áudio dela, com outras tantas revelações de Marcos Valério.
Mais: existe uma gravação feita por ele, pouco antes do início do julgamento do ''mensalão'', temeroso de ser assassinado. Se isso ocorrer, há três cópias, em cofres de bancos, e a sua mulher está autorizada a divulgá-las.
Diz-se que o publicitário havia recebido garantias do PT de que não seria molestado com a ação do Supremo.
Até agora, ele foi condenado por corrupção ativa, peculado (desvio de recursos públicos) e lavagem de dinheiro. E estaria desesperado.


+++


Da série ''Frases do mensalão'', pelo ex-ministro José Dirceu à Folha de São Paulo:
- Essa história que inventam de que vou sair do Brasil não combina comigo. Se tem algo que não conhecemos no PT é a palavra covardia. A chance de eu fugir do Brasil é zero''.
E do ministro Joaquim Barbosa, relator do ''mensalão'', na última segunda-feira:
- Não há dúvida de que houve compra de votos.
Ainda há muito que se ver.


ARTIGOS 2012
mais artigos >>>

Uma previdência mais ajustada

Os estranhos ministros sem função

Meus sonhos e o Francesco trapalhão

O povo e os bons índices de Dilma

O crime de Caxias e a nossa impunidade

A preocupante greve baiana

Deixar a Grêcia morrer?

A tentação irresistível de censurar

Enfim, emoção nas eleições

Uma previdência mais ajustada

Uma previdência mais ajustada

E não se cassa mais ninguêm

A êtica do mercado da fraude

A oposição que não se ajuda

O fascínio de fazer jornal

O poeta, o processo e o mensalão

A perigosa jogada de Cristina

Meritocracia e bico, por que não?

Hora de pensar sem provincianismo

CPI ou apenas mais uma novela ?

Não pode ser ideia de Lula

O vexame de um acordo espúrio

Conversas nem tão republicanas

Armadilhas à espera do pesquisador

CPI ou mais uma novela? (II)

O incrível acordo paulista

E a êtica do Senado Federal?

O Rio dos meus encantos

Sai Demóstenes, entra o "mensalão"

Lições de um mestre do jornalismo

O STF e a opinião pública

Dúvidas e certezas do mensalão

A oratória e o destino do mensalão

Enquanto não existir cidadania

A censura interesseira

A esperada postura dos ministros

A democracia, de Todorov a Rui Falcão

O Caso Kliemann, meio sêculo depois

A denúncia de Marcos Valêrio

Escolha bem, com responsabilidade

Para não perder a esperança

O "mensalão" e as eleições municipais

Os protestos do povo argentino

O recado muito claro do Supremo

Lula, o fenômeno político

Obama, a vitória de um líder

Mia Couto, o conferencista

Os novos tempos do STF

Somos nós os mequetrefes

Limites do jornalismo e do poder

Para não esconder a história

O "mensalão" ainda não terminou

Dois nomes políticos